Sketchbook Coleção Transcender- Xica Manicongo

€9,91

¡40% OFF comprando 1 o más!

Vas a poder aprovechar esta promoción en cualquier producto de la tienda.

12 cuotas de €1,00

Sketchbook

  • Sketchbook com lombada quadrada
  • Capa flexível com arte autoral e laminada
  • Papel Pólen Bold 90g (ótimo para fazer bullet journal)
  • 120 páginas
  • Formato 14x20 cm
  • Acabamento com elástico
  • Folhas destacáveis 

A folha de 90g é mais encorpada e permite o uso de caneta nanquim e canetinha.

O pôster com as representações e conteúdo informativo é enviado de brinde nas compras da coleção.*

A coleção transcender é uma inspiração na resistência e vida de Lili Elbe, Xica Manicongo e Miss Major.

Compre os produtos e espalhe a história por aí!

Xica Manicongo

Xica Manicongo tem sua origem atrelada ao país Congo/África e chega ao Brasil como escravizada. Aqui foi registrada pelos colonizadores como Francisco. É vendida a um sapateiro na cidade onde hoje chamamos de Salvador, na Bahia do século XVI. Com isso trabalhou com o mesmo oficio, ficando conhecida nas ruas da cidade baixa pela sua altivez e por ser namoradeira. Embora sua história, como muitas, tenha sido atacada levando, por muito tempo, ao seu apagamento, ao que tudo indica ela foi a primeira mulher trans do Brasil. Ou, pelo menos, a primeira julgada legalmente pelo fato de sua existência.
Seus registros de vida são atravessados pela história da inquisição no Brasil. Sua história passa a ser resgatada através da pesquisa de Luiz Mott sobre a perseguição aos sodomitas (sodomia – pratica de sexo anal). Xica foi enquadrada nesse crime que, por um tempo, chegou a ser um crime de lesa majestade. Os condenados eram queimados vivos.
Luiz Mott, ao pesquisar documentos oficiais em Lisboa/Portugal, identifica que Xica Manicongo andava com um pano amarrado com um nó pra frente, semelhante a um quimbanda (termo bantu para definir “invertido” ou “curador”). Sobre seu nome, Manicongo era uma denominação que os governantes no reino do Congo recebiam, por isso fica a indagação: será que Xica era rainha?
Mesmo não sabendo seu nome antes do colonizador e como era sua vida no Congo, no Brasil Xica teve sua vida cercada pela ideia de que era anormal diante das pessoas cisgênero. Aqui sofria uma grande pressão social por ser, além de mulher trans, preta e escravizada. Com a visita da inquisição, Xica foi denunciada à igreja. Embora tivesse resistido por muito tempo em viver conforme sua existência, sua possível condenação à fogueira pelo crime de sodomia a fez largar suas roupas e se vestir como os homens se vestiam à época.
Por séculos foi vista como homossexual. Seu nome social foi atribuído postumamente, já que seus registros em documentos oficiais vinham com o nome de Francisco. É Marjorie Marchi, militante transsexual negra que presidia a ASTRA-Rio (Associação de Travestis e Transexuais do Rio de Janeiro), quem passa a chama-la pelo nome social, Francisca. A ASTRA-Rio criou também um troféu chamado Xica Manicongo.
E, apesar das inúmeras tentativas de apagamento da história de Xica, seu nome resistiu e conseguiu ser um sinônimo de resistência, luta e inspiração para muitas transexuais no Brasil.

“Hoje somos seguidoras de Xica
E fazemos a cada esquina nossa labuta Não à toa usamos o cordel
Em memória ao nordeste e à sai luta De tantas Severinas, Marias, Joanas
Somos a voz da Xica que no Brasil se perpetua!”
(LUSTOSA, 2017, p. 4)

 

Pesquisa e texto: Fabiana Brasil

Arte:  @mariarosa.art

 

 

* O pôster será enviado de brinde e acompanha as compras que levam os produtos da coleção transcender. Será enviado um pôster por compra e não por produto. Ele não está a venda.

* • Prazo para envio: 6 dias úteis (contados a partir do pagamento confirmado) incluso no prazo dos correios

 

 Referências: https://www.justicadesaia.com.br/conheca-miss-major-simbolo-da-rebeliao-de-stonewall/ | https://www.papodecinema.com.br/filmes/majorhttps://revistamarieclaire.globo.com/Mulheres-do-Mundo/noticia/2021/06/conheca-miss-major-simbolo-da-rebeliao-de-stonewall.html | https://averdade.org.br/2022/01/xica-manicongo-a-primeira-travesti-do-brasil-foi-negra/ | https://averdade.org.br/2022/01/xica-manicongo-a-primeira-travesti-do-brasil-foi-negra/ | https://buzzfeed.com.br/post/voce-conhece-a-historia-de-xica-manicongo | https://revistacontinente.com.br/edicoes/185/gerda-wegener--feminino-a-toda-prova | https://stringfixer.com/pt/Lili_Elbe | https://revistahibrida.com.br/historia-queer/a-verdadeira-garota-dinamarquesa-conheca-a-historia-de-lili-elbe/ | https://brasil.elpais.com/brasil/2016/01/02/estilo/1451748884_931165.html

Produtos com a mesma arte:

CADERNO ARTESANAL    .  Sketchbook    .   Caderno de disco   .    Caderno argolado . Caderno escolar

 

Enviamos tu compra

Entregas a todo el país